Alucinógenos eram utilizados há três mil anos na Europa, segundo estudo

Alucinógenos eram utilizados há três mil anos na Europa, segundo estudo

Sobre as colunas

As colunas publicadas na Cannalize não traduzem necessariamente a opinião do portal. A publicação tem o propósito de estimular o debate sobre cannabis no Brasil e no mundo e de refletir sobre diversos pontos de vista sobre o tema.​

 A pesquisa ainda mostrou que pelo menos três tipos de substâncias eram utilizadas em rituais praticados na Espanha

Alucinógenos eram utilizados há três mil anos na Europa, segundo estudo
Foto: Divulgação/BBC

Parece que os ancestrais já usavam alucinógenos há mais de três mil anos, de acordo com um estudo realizado na Espanha. Acredita-se que esta seja a evidência mais antiga do uso de drogas na Europa.

Para chegar a esta conclusão, foram analisados restos de cabelos encontrados em um cemitério da ilha de Menorca e mostram que o consumo de substâncias alucinógenas a partir de plantas e arbustos não era um costume novo.

A descoberta foi publicada na revista Scientific Reports e mostra sinais de atividade humana na caverna de Es Càrritx, uma região que fica no sudueste da ilha. Com mais de 200 sepulturas humanas, acredita-se que o lugar era utilizado como uma espécie de cemitério há 800 anos a.C. 

Substâncias usadas em rituais?

Os pesquisadores conseguiram detectar três tipos de substâncias diferentes: a atropina e a escopolamina, que causam alucinações, e até a endorfina, que aumenta o estado de alerta.

As substâncias, que tinham o potencial alucinógeno alto, podem ter sido usadas em rituais realizados dentro das cavernas. As mechas analisadas, por exemplo, estavam tingidas de vermelho.

De acordo com o estudo, foram encontrados também recipientes com espirais esculpidas na tampa, que, segundo o relatório dos estudiosos, podem representar o “estado alterado da consciência” sob os efeitos. 

Com informações da BBC

Conte com a gente 

Caso precise de ajuda, disponibilizamos um atendimento especializado que poderá esclarecer todas as suas dúvidas, além de auxiliar desde achar um médico prescritor até o processo de importação do produto. Clique aqui.

Tags:

Artigos relacionados

Relacionadas