Cannabis ajuda criança com problema de pele ‘hoje parece que ela não tem nada’

Cannabis ajuda criança com problema de pele ‘hoje parece que ela não tem nada’

Sobre as colunas

As colunas publicadas na Cannalize não traduzem necessariamente a opinião do portal. A publicação tem o propósito de estimular o debate sobre cannabis no Brasil e no mundo e de refletir sobre diversos pontos de vista sobre o tema.​

Vitória Salinas possui uma doença de pele agressiva que causa descamação e infecções. Foi só depois da cannabis que a menina teve uma qualidade de vida

Após o parto, Patricia Salinas só pôde ver a filha três dias depois. Isso porque a pequena Vitória foi direto para a UTI logo após o nascimento. Mesmo após vários exames, os médicos não sabiam o que a menina tinha.

A pequena não fechava os olhos, ficava de boca aberta e tinha o corpo tomado de feridas. A mãe lembra que a filha estava irreconhecível e ninguém sabia o que era.

Os dias iam se passando e ela ficava cada vez pior, até uma dermatologista de um hospital particular fazer uma visita. No décimo terceiro dia de vida da Vitória, o diagnóstico finalmente veio. Era Ictiose.

Também conhecida como Doença de escama de peixe, a condição é caracterizada por uma pele extremamente seca que chega a descamar. Além do desconforto estético, a condição também pode resultar em infecções com mais frequência.

Em bebês, a condição normalmente é hereditária e surge através de alterações genéticas.

Mas o pior ainda estava por vir. 

“Cheguei a gastar 10 quilos de sal por mês”

A dermatologista deu uma expectativa de vida para Vitória de apenas três meses, devido à gravidade da condição.

A mãe conta que não podia pegá-la no colo, não podia amamentá-la e nem sequer tocá-la. Também não haviam medicamentos que pudessem ajudá-la de alguma forma.

A Vitória ainda superou as expectativas de vida, mas não tinha uma qualidade de vida.

Patrícia chegou a comprar cremes caríssimos que chegavam a R$7 mil e até dar banho com sal. “Ainda assim ela chorava .Até ela completar um ano, a gente não viu um sorriso dela, era só choro”, conta a mãe. 

Cannabis como tratamento

A família descobriu que a cannabis poderia ser uma solução através do sobrinho de Patrícia. Ele havia visto nos uma notícia de uma criança que nasceu nos Estados Unidos com a mesma condição da Vitória e estava utilizando a cannabis como tratamento. Com bons resultados. 

“Ele falou para mim: ‘Tia, eu vou conseguir (a cannabis)’”. Passaram-se quatro anos, mas o sobrinho de fato conseguiu. Ele falou que conhecia alguém que trabalhava no ramo da cannabis e poderia ajudar. 

Não demorou muito para que o óleo feito com o extrato da cannabis chegasse na casa da Vitória.

A criança passou a utilizar o óleo feito com a planta, além de um creme de hidratação. Embora não tão comuns no Brasil, os tópicos de cannabis são bastante utilizados para condições da pele, como feridas e inflamações.

Foram pouco mais de 15 dias para perceberem a diferença. 

Leia também: Feridas Abertas: Posso tratar com cannabis?

“Ela melhorou muito. As peles grossas que ela tinha, não tem mais. Até o sono melhorou, pois ela rodava a cama inteira, se coçava e agora dorme bem. (…) Agora você a vê, parece que não tem nada”, acrescenta a mãe. 

Patrícia conta que hoje, a Vitória não precisa nem utilizar mais cremes caros, mas marcas comuns que são bem mais em conta. 

“Antes, ela passava na rua e as pessoas perguntavam se ela tinha se queimado. Hoje você a vê e parece que ela não tem nada”, acrescenta. 

Consulte um dermatologista

A Cannabis também pode tratar problemas dermatológicos. Dentro do catálogo de produtos canábicos permitidos para importação no Brasil, há uma variedade de itens para este fim. Caso precise de ajuda, há uma equipe com um atendimento especializado que poderá esclarecer dúvidas, além de auxiliar desde a prescrição até a importação do produto. 

Só na Cannalize você poderá fazer uma triagem gratuitamente. Clique aqui.

Essa história faz parte da série da Cannect Uma Vida Melhor

Tags:

Artigos relacionados

Relacionadas