Contra perseguição, deputados chilenos querem reforçar legalidade do autocultivo da cannabis medicinal

Contra perseguição, deputados chilenos querem reforçar legalidade do autocultivo da cannabis medicinal

Sobre as colunas

As colunas publicadas na Cannalize não traduzem necessariamente a opinião do portal. A publicação tem o propósito de estimular o debate sobre cannabis no Brasil e no mundo e de refletir sobre diversos pontos de vista sobre o tema.​

Senado chileno aprovou a inclusão de um artigo na lei de drogas para proteger o direito dos pacientes de cannabis medicinal de cultivar suas próprias plantas.

Foto: Freepik

Traduzido de Canamo

A aprovação do autocultivo trata-se de uma iniciativa política que há anos tenta ser aprovada por um grupo de legisladores liderados pela deputada Ana María Gazmuri, com o objetivo de acabar com a perseguição policial e judicial de pacientes que usam cannabis medicinal.

A proteção do autocultivo para pacientes com receita médica foi incluída na tramitação da chamada Lei Antinarcóticos. Na verdade, a lei chilena já inclui o uso pessoal e medicinal da cannabis, mas não está sendo cumprida.

“O problema é que isso não foi respeitado. E é por isso que fomos obrigados a especificar esta situação com uma indicação”, declarou o deputado Gazmuri.

Depois de ter obtido a aprovação da Comissão Mista, falta agora passar pelo plenário, mas os seus promotores garantem que a votação está assegurada.

“Sabemos que será ratificado”, assegurou Ana María Gazmuri.

Leia também: Governo Argentino anuncia avanços sobre a produção de cannabis medicinal

A medida foi aprovada com amplo apoio na Câmara dos Deputados em 2018, mas três anos depois foi rejeitada pela Comissão de Saúde do Senado.

“Nos enche de alegria e emoção que, finalmente, depois de tantos anos e depois de ter sido aprovado por larga maioria pela Câmara dos Deputados e Deputados, […] e depois, infelizmente, rejeitado no Senado, hoje conseguimos substituir essa indicação que protege os usuários que cultivam maconha para uso medicinal pela prescrição médica. Um mínimo civilizatório que devíamos à imensa comunidade de pacientes”, afirmou o deputado na conferência de imprensa após a votação.

Conte com a gente 

Caso precise de ajuda, disponibilizamos um atendimento especializado que poderá esclarecer todas as suas dúvidas, além de auxiliar desde achar um médico prescritor até o processo de importação do produto. Clique aqui.

Tags:

Artigos relacionados

Relacionadas