Coronel da PM obtém o direito de cultivar cannabis ‘É preciso quebrar o preconceito’

Coronel da PM obtém o direito de cultivar cannabis ‘É preciso quebrar o preconceito’

Sobre as colunas

As colunas publicadas na Cannalize não traduzem necessariamente a opinião do portal. A publicação tem o propósito de estimular o debate sobre cannabis no Brasil e no mundo e de refletir sobre diversos pontos de vista sobre o tema.​

Agora o policial de Brasília pode cultivar cannabis sem medo para o tratamento de ansiedade e insônia

Coronel da PM obtém o direito de cultivar cannabis ‘É preciso quebrar o preconceito’
Foto:Freepik

No começo de março, um coronel da Polícia Militar de Brasília obteve o direito de cultivar cannabis para tratar ansiedade e insônia. Após dois anos de espera, a decisão finalmente saiu e agora, ele pode plantar sem medo. 

De acordo com o coronel, a escolha de cultivar o próprio remédio foi uma forma de ter o tratamento sempre garantido. Sem depender de farmácias, associações ou importações. 

Contudo, plantar maconha no quintal ainda é um tabu. Por isso, ninguém da família do servidor público sabe. Apenas a sua esposa. 

Tratando a saúde mental

Neste texto, vamos chamá-lo de CG. O coronel de 54 anos não quis se identificar com medo das represálias, principalmente por causa do seu cargo. 

CG utilizava medicações convencionais para tratar a sua ansiedade e insônia. Contudo, já sabia que o tratamento feito a partir de comprimidos teria um fim. “No momento em que o psiquiatra me receitou o primeiro remédio, eu disse que não usaria medicamentos pela vida toda. E consegui”, ressalta.  

Você também pode querer ler: “Não vim para prender ninguém, vim para salvarem a minha filha”, diz coronel sobre a cannabis medicinal

A cannabis é cada vez mais utilizada para o tratamento tanto da ansiedade quanto da insônia. Para se ter uma ideia, 56% das receitas emitidas entre 2015 e 2019 foram direcionadas para problemas relacionados ao cérebro, de acordo com a Kaya Mind.

A planta vem chamando a atenção por ser uma opção mais natural e com pouquíssimos efeitos colaterais. E em muitos casos, a única opção eficaz.

No caso do coronel, hoje ele tem uma vida normal. CG, conta que a sua ansiedade diminuiu consideravelmente e agora dorme bem melhor. “É preciso quebrar o preconceito”, acrescenta. 

Habeas Corpus

De acordo com a Lei de Drogas de 2006 o cultivo de cannabis é proibido no país, salvo por decisões judiciais para pacientes que precisam do extrato da planta como tratamento. Assim é possível obter o chamado habeas corpus, que dá direito de plantar sem ser preso. 

Leia também: O que é necessário para cultivar cannabis medicinal?

E os processos estão cada vez mais frequentes no país. Embora ocorram em segredo de justiça, as notícias sobre pacientes que obtiveram o direito não param de aparecer. 

Contudo, o estigma de plantar cannabis ainda é muito grande, e os pacientes ainda têm receio de falar sobre o assunto. Principalmente se ocupam um cargo público. 

Como no caso de um coronel da Polícia Militar, que obteve o salvo-conduto recentemente. Mas mesmo com a autorização, certificado de curso de cultivo e extração do óleo, CG não se sente confortável para se expor.

Posso ser preso?

De acordo com o advogado que atuou no caso, Gabriel Pietricovsky, o receio de falar sobre cultivo começa até antes de entrar com o processo de habeas corpus. 

Isso porque o paciente deve estar cultivando de forma ilegal para pedir o salvo conduto. E isso é informado ao juiz. 

“Tem pessoas de todas as formas, umas sentem mais receio que outras por conta da realidade em que vivem. Muitos me perguntam se posso ser preso e alguns que nem entram no processo por medo de informar ao juiz que já cultiva”, diz o advogado. 

GC, por exemplo, ainda espera falar sobre o assunto com a família, mas no futuro. 

Nunca mais ficar sem o remédio

 A decisão de cultivar surgiu pelo medo de ficar sem a medicação. E a decisão de entrar na justiça foi para ter segurança jurídica.

Medicamentos importados podem atrasar ou ficar presos na Anvisa, e não são todas as farmácias que têm remédios à base de cannabis. Por isso, plantar o próprio remédio pareceu a melhor solução (e mais barata).

Fora os mercados paralelos, que vendem produtos sem a garantia de qualidade ou até mesmo nunca enviam. “Você pode muito bem cair em golpes, já aconteceu comigo. Plantar é a certeza que você sempre terá o óleo”, diz CG.

Consulte um médico 

É importante ressaltar que qualquer produto feito com a cannabis precisa ser prescrito por um médico, que poderá te orientar de forma específica e indicar qual o melhor tratamento para a sua condição.

Caso precise de ajuda, disponibilizamos um atendimento especializado que poderá esclarecer todas as suas dúvidas, além de auxiliar na marcação de uma consulta com um médico prescritor, passando pelo processo de importação do produto até o acompanhamento do tratamento. Clique aqui.

Tags:

Artigos relacionados

Relacionadas