Empresa de cannabis desenvolve projeto com comunidade indígena

Empresa de cannabis desenvolve projeto com comunidade indígena

Sobre as colunas

As colunas publicadas na Cannalize não traduzem necessariamente a opinião do portal. A publicação tem o propósito de estimular o debate sobre cannabis no Brasil e no mundo e de refletir sobre diversos pontos de vista sobre o tema.​

Trata-se de produtos que unem tanto a cannabis quanto a medicina dos povos originários, além do protagonismo indígena

Empresa de cannabis desenvolve projeto com comunidade indígena
Foto: Pangaia/Reprodução

Recentemente a empresa Pangaia CBD realizou uma parceria com a Comunidade indígena Apirinã, no Pará. O projeto, que engloba a população do Médio Xingu, foi a criação de dois novos produtos à base de cannabis.

Trata-se de óleos e pomadas que misturam a cannabis com arnica, andiroba e copaíba, plantas medicinais usadas pelos povos originários e pela medicina popular há centenas de anos.

“Com essa iniciativa, nosso intuito é preservar a cultura, a saúde e a Amazônia,  garantindo sustentabilidade econômica ao gerar renda e fortalecendo atividades com base no conhecimento milenar já existente”, afirma Gonen Keren, CEO da Pangaia.

Preservação dos povos originários

Tanto os povos da etnia Xipaya quanto os Juruna são vítimas do processo de deslocamento compulsório na região do Médio Xingu. Desde 1975, esses e outros povos originários sofreram e ainda sofrem com os danos irreparáveis causados pela construção da Hidrelétrica de Belo Monte.

Atualmente, eles enfrentam muitas dificuldades, como a luta por autonomia financeira e por retomada de terras, o êxodo dos mais jovens para cidades em busca de fonte de renda, a preservação de florestas e igarapés e a falta de suporte para necessidades básicas, como saúde e educação.

“Estabelecemos relações importantes com as lideranças da comunidade para entender as necessidades e potência desses povos. Assim, conseguimos mapear soluções sociais, econômicas e sustentáveis para promover transformações na vida de todos”, afirma Manu Melo Franco, Diretora Socioambiental da Pangaia.

A diretora ainda acrescentou que toda a linha dos produtos terá 10% do seu lucro doado para ONGS, instituições ou projetos de reflorestamento e preservação da Amazônia.

Parte dessa verba será destinada às atividades desenvolvidas dentro da comunidade Apirinã, fortalecendo ainda mais a parceria.

Medicina indígena

Os produtos lançados pela parceria são o óleo de CBD Full Spectrum 3000mg + 3000 mg de Copaíba e o creme/pomada de CBD Full Spectrum com Andiroba, Arnica e Copaíba – remédios certificados pela Anvisa que possuem propriedades anti-inflamatórias, analgésicas, cicatrizantes, ansiolíticas, antidepressivas, antimicrobianas e antioxidantes, entre outras.

Leia também: Óleo CBD full-spectrum: O que é, como é produzido e tipos de extração

De acordo com a empresa, os produtos reúnem uma combinação única de óleos naturais de copaíba, andiroba e arnica, que há séculos são utilizados pelas comunidades indígenas para fins medicinais.

Mauro Juruna, liderança da Comunidade Apirinã, lembra que o reflorestamento e a preservação da floresta nativa, assim como seus rios e sua fauna, também estão na lista de prioridades da parceria.

“A Amazônia compreende o maior e mais diverso bioma do planeta, com uma infinita biodiversidade de fauna e flora que são endêmicos na região. Não é à toa que é considerada o pulmão do mundo. Infelizmente, nos últimos anos, o desmatamento tem sido uma ameaça crescente à floresta e a nós, povos originários”, afirma.

Combate ao desmatamento

Segundo dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), entre agosto de 2010 e julho de 2020, a área desmatada na Amazônia brasileira aumentou em mais de 60%.

Entre janeiro e dezembro de 2022, foram desmatadas uma área equivalente a 3 mil campos de futebol por dia, segundo dados do Instituto Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon).

“Firmar parcerias como essa é muito importante para nós indígenas, estamos muito felizes e esperançosos com a construção conjunta de novos planos para nosso povo e para a floresta inteira. Queremos que essa responsabilidade ambiental seja compartilhada e que possamos unir forças para lutar contra tudo que tem sido feito para dizimar a Amazônia e seus povos, finaliza Mauro.”

Empresa de cannabis desenvolve projeto com comunidade indígena
Foto: Pangaia/Reprodução

Consulte um médico 

É importante ressaltar que qualquer produto feito com a cannabis precisa ser prescrito por um profissional de saúde, que poderá te orientar de forma específica e indicar qual o melhor tratamento para a sua condição.

Caso precise de ajuda, disponibilizamos um atendimento especializado que poderá esclarecer todas as suas dúvidas, além de auxiliar na marcação de uma consulta com um médico prescritor, passando pelo processo de importação do produto até o acompanhamento do tratamento. Clique aqui.

Tags:

Artigos relacionados

Relacionadas