Farmacêuticas terão um prejuízo bilionário com a legalização da cannabis, segundo estudo

Farmacêuticas terão um prejuízo bilionário com a legalização da cannabis, segundo estudo

Sobre as colunas

As colunas publicadas na Cannalize não traduzem necessariamente a opinião do portal. A publicação tem o propósito de estimular o debate sobre cannabis no Brasil e no mundo e de refletir sobre diversos pontos de vista sobre o tema.​

A pesquisa feita nos Estados Unidos mostrou que tanto a cannabis medicinal quanto recreativa podem afetar diretamente a venda de uma variedade de remédios.

De acordo com um estudo feito pelas universidades da Califórnia e do Novo México, nos Estados Unidos, a legalização da cannabis pode trazer prejuízos bilionários para as farmacêuticas que fabricam remédios convencionais.

De acordo com os autores da pesquisa, apenas o ato da legalização, sem contar com os incentivos para o novo mercado, poderiam reduzir as vendas anuais do mercado farmacêutico em até US$ 3bi. O que convertido em reais ficaria em torno de R$15 bi.

Isso porque a cannabis tem  se destacado como solução para uma variedade de problemas de saúde, principalmente por ser uma opção mais natural e com poucos efeitos colaterais.

“ Além disso, o acesso à cannabis recreativa é semelhante aos medicamentos convencionais vendidos sem receita, na medida em que não requer mais a supervisão do profissional de saúde para o uso.”, escreveram os pesquisadores.

Leia também: Uso da cannabis é promissor no tratamento da enxaqueca

Foto: Freepik

Como o estudo foi feito

Para chegar ao resultado, o estudo avaliou como o mercado de ações farmacêuticas do país reagiu às leis que legalizaram tanto a cannabis medicinal quanto recreativa dos 33 estados com legislações sobre o assunto.

Durante o período de 25 anos (1996 a 2019), o impacto foi perceptível tanto por grandes farmacêuticas com patentes quanto empresas que fabricam genéricos. 

“Usando um conjunto de dados e uma abordagem de estimativa nova para a política de saúde, encontramos evidências de que os investidores preveem que o acesso legal à cannabis diminuirá significativamente as vendas de medicamentos farmacêuticos convencionais”, escrevem no estudo. 

Substituição para opioides

A cannabis tem sido uma aposta de substituição não só para remédios anticonvulsivantes como também para opioides, por exemplo. 

Embora as evidências permaneçam escassas, muitos especialistas argumentam que a cannabis medicinal pode ser um substituto altamente eficaz para medicamentos opioides como oxycontin, codeína e morfina, usados para tratar dores.

De acordo com um estudo publicado na revista Systematic Reviews, por exemplo, descobriu-se que os pacientes com dor crônica que usam cannabis, além de medicamentos farmacêuticos, mostram uma diminuição no uso de opioides.

Além de uma frequência menor na ida ao pronto-socorro.

Esse é apenas um exemplo de várias condições que podem ser tratadas com a planta.

Você também pode se interessar: A maconha pode reduzir os sintomas da COVID-19, revela estudo

Procure um médico

É importante ressaltar que só há a regulamentação do uso medicinal no Brasil. Contudo,  qualquer produto feito com a cannabis precisa ser prescrito por um médico, que inclusive, poderá indicar qual o melhor tratamento para a sua condição.

Caso precise de ajuda, disponibilizamos um atendimento especializado que poderá esclarecer todas as suas dúvidas, além de auxiliar desde a achar um médico prescritor até o processo de importação do produto. Clique aqui.

 

Tags:

Artigos relacionados

Relacionadas