Marrocos avança na regularização da produção de cannabis

Marrocos avança na regularização da produção de cannabis

Sobre as colunas

As colunas publicadas na Cannalize não traduzem necessariamente a opinião do portal. A publicação tem o propósito de estimular o debate sobre cannabis no Brasil e no mundo e de refletir sobre diversos pontos de vista sobre o tema.​

Agência nacional criou as primeiras licenças para colocar o território na lista de países com cannabis legalizada

Foto: Reprodução / Freepik

Enfrentando pressão dos agricultores locais para a aceleração do processo de regularização, a ANRAC (Agência Nacional para Regulação de Atividades Canábicas) emitiu as primeiras licenças para a produção e comercialização de cannabis no país.

Desde o ano passado, o Marrocos caminha para a legalização do cultivo da cannabis para fins médicos e industriais. Os primeiros passos foram dados em março de 2021, quando foi emitido o decreto, e em junho de 2021, quando foi formada a ANRAC, agência responsável por controlar todas as etapas da cadeia produtiva, desde a importação das sementes até a comercialização dos produtos.

“Queremos criar um mercado medicinal. Os fazendeiros se desesperam ao pensar em tráfico de drogas”, diz Mohamed Abbout, representante da Associação dos Agricultores das Montanhas de Rife, para a agência de notícias AfricaNews. A região montanhosa no norte do país é a porta de saída da maconha ilegal para o tráfico na Europa.

A maconha é cultivada no Marrocos há séculos e o país é conhecido por ser o maior produtor mundial de haxixe. Com a legalização, o país pode sair da marginalização e dar um importante salto econômico.

Leia também: Nepal pode acabar com proibição após 50 anos

Tags:

Artigos relacionados

Relacionadas