Metais pesados na cannabis: como se livrar?

Metais pesados na cannabis: como se livrar?

Sobre as colunas

As colunas publicadas na Cannalize não traduzem necessariamente a opinião do portal. A publicação tem o propósito de estimular o debate sobre cannabis no Brasil e no mundo e de refletir sobre diversos pontos de vista sobre o tema.​

Apesar de benéfica para o meio ambiente, a mistura de metais pesados com cannabis pode ser perigosa para o organismo

Você já se certificou se seu derivado de cannabis está livre de metais pesados? Não, não estou falando daquele rock agressivo que faz as pessoas balançarem a cabeça por aí, mas sim de minérios perigosos. 

Segundo um estudo de relevante importância, feito pela Columbia University Mailman School of Public Health, e publicado em agosto deste ano, a maconha é uma fonte de exposição ao cádmio e ao chumbo, e muitos produtos derivados de cannabis podem conter metais pesados em sua composição. 

Isto porque a planta da cannabis tem um importante impacto ambiental. Suas raízes são capazes de “limpar” áreas tóxicas. Por ter raízes longas e crescimento rápido, a cannabis remove os metais, acumulando componentes químicos do solo.

Rígidos testes de qualidade

Mas quando se trata de desenvolver produtos à base de cannabis, como óleos, comestíveis e pomadas, isso pode ser um problema. 

É por isso que muitos fabricantes submetem rígidos testes de qualidade para atestar a segurança de seus produtos, como é o caso da linha de produtos Eliv, da Korasana.

Segundo o fabricante, o cânhamo usado como insumo para seus produtos é testado por um laboratório terceiro independente, para garantir que esteja livre de pesticidas, metais pesados e contaminantes.

“Adquirimos nossa biomassa de fazendas locais que não utilizam pesticidas para o cultivo. Se durante os testes estiverem presentes metais pesados que excedam os limites definidos, a colheita deve ser destruída”, conta Mark Cruz, CEO e fundador da Korasana e fornecedor dos produtos Eliv.

Certificado de Análise

Tais análises são garantidas por um documento chamado COA (Certificate of Analysis ou Certificado de Análise, em tradução livre), obrigatoriamente apresentado por fabricantes de óleos de fabricação padronizada.

Este documento, que se assemelha com uma tabela de informação nutricional de alimentos industrializados, é validado por um farmacêutico auditor externo para garantir a idoneidade das informações apresentadas.

O COA pode ser acessado antes mesmo de efetuar a compra de um produto canábico industrializado, e no caso dos produtos Eliv, você pode consultá-lo no marketplace da Cannect.

Tags:

Artigos relacionados

Relacionadas