Nova Zelândia aprova a fabricação interna de produtos canábicos

Nova Zelândia aprova a fabricação interna de produtos canábicos

Sobre as colunas

As colunas publicadas na Cannalize não traduzem necessariamente a opinião do portal. A publicação tem o propósito de estimular o debate sobre cannabis no Brasil e no mundo e de refletir sobre diversos pontos de vista sobre o tema.​

Para facilitar a vida dos moradores que desejam se tratar com a erva, o governo do país permitiu a produção doméstica. 

Na última semana, a Nova Zelândia aprovou as primeiras medidas para firmar a sua produção interna de cannabis medicinal, o que abre uma nova oportunidade para as empresas do país. 

As leis anteriores, apesar de permitirem que qualquer médico licenciado possa prescrever a cannabis para os seus pacientes, colocavam uma imposição sobre a origem dos compostos, que não poderiam vir da fabricação doméstica. 

A medida tem como principal objetivo encurtar o caminho das pessoas que necessitam se tratar com a planta. A dependência da importação não deve mais ser um problema para os neozelandeses. 

“Esta é uma ótima notícia para muitos pacientes que há muito buscam acesso legal a produtos de cannabis medicinal cultivados na Nova Zelândia”, ressaltou Carmen Doran, executiva-chefe da empresa canábica Helius Therapeutics, ao portal Scoop Independent News. 

Confira: Nova Zelândia aprova primeiros medicamentos a base de cannabis

E para o uso recreativo? 

pesquisa

Apesar de ter um mercado mais estabilizado para a cannabis medicinal, a Nova Zelândia adota uma postura diferente sobre o uso recreativo da planta. 

Havia bastante expectativa de que uma legalização acontecesse no final de 2020, através de uma votação que julgou dois temas: a liberação total da cannabis e a aprovação da eutanásia em solo neozelandês. 

Infelizmente, apenas a segunda foi aprovada. Na época, 53% do parlamento se posicionou contra a legalização canábica. 

O julgamento gerou uma grande confusão com os defensores da erva. Parte deste grupo, ficou revoltado com a mudança de decisão da primeira-ministra Jacinda Ardern.

Veja: Eleitores da Nova Zelândia aprovam a eutanásia, mas rejeitam a cannabis recreativa

Procure um médico

É importante ressaltar que qualquer produto feito com a cannabis precisa ser prescrito por um médico, que poderá indicar qual o melhor tratamento para o seu caso.

Se precisar de ajuda, disponibilizamos um atendimento especializado para esclarecer suas dúvidas, além de auxiliar desde a prescrição até a importação do produto. Clique aqui.

Tags:

Artigos relacionados

Relacionadas