O uso da cannabis pode não estar associado a psicose, segundo estudo

O uso da cannabis pode não estar associado a psicose, segundo estudo

Sobre as colunas

As colunas publicadas na Cannalize não traduzem necessariamente a opinião do portal. A publicação tem o propósito de estimular o debate sobre cannabis no Brasil e no mundo e de refletir sobre diversos pontos de vista sobre o tema.​

A pesquisa segue o que alguns estudos sobre que também têm demonstrado que não há associação entre cannabis e psicose

O uso da cannabis pode não estar associado à psicose, segundo estudo
Foto: Freepik

Contrariando pesquisas antigas, um novo estudo publicado na revista científica National Library of Medicine, o uso da cannabis não está associado ao desenvolvimento de psicose, mesmo em pessoas que têm predisposição para a condição. 

O objetivo dos pesquisadores era entender a associação do uso de cannabis e a incidência de transtornos psicóticos em pessoas com um alto risco clínico de psicose.

Por isso, foram analisados os dados de 334 indivíduos com um alto risco de desenvolver psicose e 67 sem a predisposição, que foram acompanhados por um período de dois anos. 

Resultados

Os resultados mostraram que apenas 16,2% das pessoas com alto risco à condição desenvolveram psicose. Os demais 51,4% apresentaram sintomas persistentes, e 48,6% estavam em remissão.

Dessa forma, os pesquisadores concluíram que não houve associação significativa entre o uso da maconha no início do estudo e a transição para a psicose, a persistência dos sintomas ou o desfecho funcional.

Na conclusão, os cientistas ainda acrescentaram que os resultados são contrários aos dados epidemiológicos que sugerem que o uso da planta aumenta os riscos de transtornos psicóticos.

Outras pesquisas

Essa não é a primeira vez que um estudo mostra a falta de relação entre a cannabis e a psicose. Segundo um estudo publicado em 2022 na revista científica National Library of Medicine, a legalização no Canadá “não foi associada a evidências de mudanças significativas em psicose induzida por cannabis ou apresentações de esquizofrenia”.

Outro estudo publicado no Journal of the American Medical Association chegou à mesma conclusão ao analisar dados de 2003 a 2017 nos Estados Unidos. Aqui também não houve uma associação entre as legalizações estaduais e o transtorno. 

Consulte um profissional

É importante ressaltar que qualquer produto feito com a cannabis precisa ser prescrito por um profissional de saúde habilitado, que poderá te orientar de forma específica e indicar qual o melhor tratamento para a sua condição.

Caso precise de ajuda, disponibilizamos um atendimento especializado que poderá esclarecer todas as suas dúvidas, além de auxiliar na marcação de uma consulta, dar suporte na compra do produto até no acompanhamento do tratamento. Clique aqui.

Tags:

Artigos relacionados

Relacionadas