Cannabis ou maconha? Proposta precisa trocar de nome para ser votada no Rio

Cannabis ou maconha? Proposta precisa trocar de nome para ser votada no Rio

Sobre as colunas

As colunas publicadas na Cannalize não traduzem necessariamente a opinião do portal. A publicação tem o propósito de estimular o debate sobre cannabis no Brasil e no mundo e de refletir sobre diversos pontos de vista sobre o tema.​

Parece que a maior resistência para a aprovação de um Projeto de Lei no Rio de Janeiro estava no nome

Cannabis ou maconha? Proposta precisa trocar de nome para ser votada no Rio
Foto: Freepik

Depois de sete anos, um projeto de lei sobre o Dia da Maconha finalmente voltou a ser debatido na Câmara dos Vereadores do município do Rio de Janeiro. Contudo, a proposta sofre resistência apenas por causa do nome. 

A ideia de desarquivar o projeto de lei partiu da vereadora Luciana Boiteux (PSOL), que assumiu no começo do ano como suplente de Tarcísio Motta, eleito deputado federal.

A vereadora argumentou que o PL apresentado pelo antigo vereador Renato Cinco do mesmo partido, ainda é importante, pois a população precisa entender melhor as propriedades medicinais da cannabis. 

Mas a ideia de aprovar um “Dia da Maconha” causou alvoroço na Câmara dos Vereadores da cidade. Só por causa da palavra “maconha”. 

Nova votação

A ideia é que a data seja celebrada todos os anos no dia 27 de novembro, que também é o Dia Nacional de Combate ao Câncer.

Para ser aprovado, a proposta precisa ter a maioria favorável, com pelo menos 26 vereadores se manifestando. Quando o PL foi posto em pauta, apenas 24 vereadores votaram. 16 foram a favor, e oito, contra.  

A maior resistência estava no nome. Parece que os vereadores não gostaram da ideia de aprovar um “Dia da Maconha” e por isso, o projeto precisou receber uma emenda de redação, que alterou  a palavra “maconha” por “cannabis”.

Agora, a proposta será votada mais uma vez, mas ainda não há uma data para isso. 

Legislação brasileira

No Brasil, a cannabis é aprovada apenas para fins medicinais e só pode ser comprada com receita médica. 

Atualmente, ela pode ser adquirida através de importações, nas farmácias e até por associações de pacientes. 

Caso precise de ajuda, disponibilizamos um atendimento especializado que poderá esclarecer todas as suas dúvidas, além de auxiliar desde a achar um médico prescritor até o processo de importação do produto. Clique aqui.

Tags:

Artigos relacionados

Relacionadas