Psicodélicos podem ser usados no tratamento do câncer de mama?

Psicodélicos podem ser usados no tratamento do câncer de mama?

Sobre as colunas

As colunas publicadas na Cannalize não traduzem necessariamente a opinião do portal. A publicação tem o propósito de estimular o debate sobre cannabis no Brasil e no mundo e de refletir sobre diversos pontos de vista sobre o tema.​

A pesquisa mostrou que tanto a cannabis como um tipo de cogumelo foi importante para reduzir o tumor e até retirar a quimioterapia.

Na última quinta-feira (22), foi publicada uma pesquisa na revista científica Drug Science, que trouxe evidências de que psicodélicos podem colaborar de forma positiva no tratamento do câncer de mama.

O estudo de caso foi realizado em 2018 em uma mulher de 49  anos que estava com um câncer metastático em estágio 4. Durante o tratamento com a quimioterapia, os pesquisadores acrescentaram cannabis e a psilocibina (principal substância psicoativa dos ‘cogumelos mágicos’) ao processo terapêutico.

A primeira constatação foi que o tumor teve uma redução de 50%. Porém, até que ponto os psicodélicos haviam ajudado nesse processo de remissão da doença?

Foto: Freepik

Uso da psilocibina

O primeiro psicodélico inserido foi a cannabis, mas, pouco tempo depois, foi acrescentado também um tratamento de psicoterapia assistida com o uso de psilocibina.

Em janeiro de 2019, a mulher não apresentava mais doença residual e recorrente. 

Diante dos resultados, o tratamento com quimioterapia foi suspenso e a paciente só ficou utilizando apenas os psicodélicos.

Resultados animadores?

Oito meses depois, em setembro, também não haviam evidências de resíduos, ou seja, o tratamento estava funcionando mesmo sem a quimioterapia. 

Então, no mês seguinte, os pesquisadores retiraram a psilocibina e deixaram apenas o tratamento com a cannabis em uma dosagem menor. 

Mas parece não ter sido uma boa ideia.

Um novo exame feito em junho de 2020 mostrou que a doença havia voltado. 

 “Isso levanta a possibilidade de que a retirada das terapias canabinoides e psicodélicas possa ter contribuído para o retorno do câncer”, informa o estudo.

Reutilizando a cannabis e o cogumelo

Após os resultados, a cannabis e o cogumelo foram introduzidos mais uma vez de forma gradativa.

De acordo com o relato dos pesquisadores, o câncer foi estabilizado novamente. 

Isso mostra que a cannabis e os cogumelos podem ter desempenhado um papel importante no tratamento. Contudo, ressaltam que a hipótese precisa de investigações mais aprofundadas.

Mais evidências

Os pesquisadores ainda acrescentaram que, nos últimos anos, têm surgido várias evidências consideráveis in vitro e in vivo sobre as propriedades antineoplásicas (destruição de células tumorais) dos psicodélicos.

O assunto tomou grande repercussão nos Estados Unidos depois que o próprio Instituto Americano do Câncer admitiu que a planta pode matar as células cancerígenas, além de impedir o crescimento de novas células.

A posição veio depois de um estudo de dois anos em ratos com câncer, onde a princípio, foi percebido uma diminuição do tumor dos bichos.

Eles receberam altas doses de THC por meio de uma sonda, junto com alimentos. A substância se mostrou eficaz tanto no combate à doença, quanto na proteção das células saudáveis.

Outros tipos de câncer

E parece que não é só o câncer de mama. Diagnosticada com câncer, idosa de 80 anos no Reino Unido viu o seu tumor no pulmão direito reduzir 76% depois do uso do Canabidiol. O caso foi documentado e publicado em um artigo na BMJ Case Reports.

Em 2018 a Netflix lançou um documentário sobre a história de crianças que também passaram a fazer uso do tratamento com a cannabis.

Com o título “Maconha Medicinal: cura ou crime?”, o filme independente acompanhou a vida de várias crianças enquanto faziam quimioterapia e tratamentos convencionais e outras que recorreram à cannabis porque todas as outras opções falharam.

No filme, os sintomas e os tumores das crianças também regrediram depois da terapia canábica. 

Foto: Freepik

Procure um médico

É importante ressaltar que qualquer produto feito com psicodélicos precisa ser prescrito por um médico, que inclusive, poderá indicar qual o melhor tratamento para a sua condição.

Caso precise de ajuda, disponibilizamos um atendimento especializado que poderá esclarecer todas as suas dúvidas, além de auxiliar desde a achar um médico prescritor até o processo de importação do produto. Clique aqui.

Tags:

Artigos relacionados

Relacionadas