Reino Unido impede a região das Bermudas de legalizar a cannabis

Reino Unido impede a região das Bermudas de legalizar a cannabis

Sobre as colunas

As colunas publicadas na Cannalize não traduzem necessariamente a opinião do portal. A publicação tem o propósito de estimular o debate sobre cannabis no Brasil e no mundo e de refletir sobre diversos pontos de vista sobre o tema.​

O território estava prestes a liberar a erva, mas um pedido do governo britânico mudou o rumo da história. 

A região das Bermudas, um conjunto de ilhas localizadas no Oceano Atlântico, recebeu uma instrução do Reino Unido para não legalizar a cannabis no seu território. 

A notícia divulgada pelo portal Royal Gazette conta que a governadora Rena Lalgie recebeu o pedido do governo britânico, o que não foi bem aceito pela classe política local. 

A lei de licenciamento da cannabis, proposta pelo Partido Trabalhista Progressista, foi reservada para a aprovação em maio deste ano e tinha a expectativa de ser aprovada neste mês. 

O posicionamento tomado pela Grã-Bretanha pode estabelecer uma crise entre os dois lugares. David Burt, primeiro-ministro de Bermudas, disse no ano passado que se a “aprovação real” não fosse dada ao projeto, as relações com o país europeu seriam destruídas. 

Como justificativa, representantes do Reino Unido afirmam que o processo precisa de mais etapas e que ainda não está pronto para ser aprovado. 

Uma vez que um projeto de lei tenha concluído todas as etapas parlamentares em ambas as Câmaras, está pronto para receber a liberação”, afirma o parlamento britânico.  

Confira: 5 vezes em que a cannabis e cruzou o caminho da Rainha Elizabeth II

Forte mercado 

A medida tomada pelo Reino Unido surpreende, justamente, por ser um local forte no mercado canábico. 

Um relatório publicado pela Associação para Indústria de Canabinoides (ACI) e pelo Centro de Cannabis Medicinal (CMC), denominado de Green Shoots, constatou que a região europeia tinha o segundo maior mercado de CBD (Canabidiol) do mundo. 

A crescente do uso medicinal no país é alta. Como comparativo, entre 2019 e 2021, o setor valorizou em cerca de 390 milhões de euros, o que caracterizou o maior índice conseguido até então. 

‘’Quase sem aviso prévio e certamente mais por acidente do que pelo projeto, o Reino Unido se tornou o segundo maior mercado consumidor de canabinóides do mundo’’, concluiu Paul Birth, co-fundador das empresas responsáveis pela pesquisa. 

Veja também: Reino Unido pretende desenvolver uma robusta indústria da cannabis

Procure um médico

É importante ressaltar que qualquer produto feito com a cannabis precisa ser prescrito por um médico, que poderá indicar qual o melhor tratamento para o seu caso.

Se precisar de ajuda, disponibilizamos um atendimento especializado para esclarecer suas dúvidas, além de auxiliar desde a prescrição até a importação do produto. Clique aqui.

Tags:

Artigos relacionados

Relacionadas