Vendas de maconha superam até o chocolate nos EUA, segundo estudo

Vendas de maconha superam até o chocolate nos EUA, segundo estudo

Sobre as colunas

As colunas publicadas na Cannalize não traduzem necessariamente a opinião do portal. A publicação tem o propósito de estimular o debate sobre cannabis no Brasil e no mundo e de refletir sobre diversos pontos de vista sobre o tema.​

Nos estados norte-americanos legalizados, a planta trouxe mais lucros que opioides e chocolates. E a tendência é crescer ainda mais

Vendas de maconha superam até o chocolate nos EUA, segundo estudo
Foto: Freepik

De acordo com uma pesquisa realizada pelo portal norte-americano MJBizDaily no ano passado, os estadunidenses gastaram mais comprando maconha que chocolate nos estados legalizados.

Segundo a publicação de 2022, foram US$30 bi (aproximadamente R$147 bi) em produtos legais derivados da planta. Um valor maior do que o que foi gasto com medicamentos opioides (US$22 bi, o equivalente a R$108 bi) e até chocolate (US$20 bi ou R$98 bi).

E a tendência é aumentar ainda mais as vendas de maconha. O estudo ainda prevê que as vendas de produtos à base de cannabis possam alcançar US$58 bi (R$285 bi) até 2028. 

Só para este ano, a expectativa é de arrecadar US$33,6 bi (R$165 bi) nos estados legalizados.

Cannabis no chocolate

Um dos possíveis motivos para isso, são os comestíveis com infusão de cannabis, inclusive o chocolate. Não é muito incomum encontrar o “ingrediente secreto” em receitas de brownies e cookies de chocolate.

De acordo com os dados da empresa Cooper Ashley, uma empresa de análise de cannabis, as vendas de alimentos para o uso adulto e médico cresceram cerca de 60% em sete mercados estaduais há dois anos.

Desde a época, as vendas de comestíveis com cannabis passaram de US$767 milhões ( cerca de R$3.700 milhões) em 2019 e atingiram US $1,23 bi (algo em torno de R$6 bi) em 2020. 

Legislação brasileira

No Brasil, a cannabis é aprovada apenas para fins medicinais e só pode ser comprada com receita. 

Atualmente, ela pode ser adquirida através de importações, nas farmácias e até por associações de pacientes. 

Caso precise de ajuda, disponibilizamos um atendimento especializado que poderá esclarecer todas as suas dúvidas, além de auxiliar desde a achar um prescritor até o processo de importação do produto. Clique aqui.

Tags:

Artigos relacionados

Relacionadas